Whatsapp Pay: o que é e como funciona essa ferramenta de pagamentos

Mercado
whatsapp pay

Em um mundo cada vez mais dinâmico, as pessoas estão em busca de métodos de pagamento alinhados às suas necessidades diárias. Em outras palavras, as empresas precisam proporcionar formas que sejam mais ágeis e fáceis de serem usadas. Ao mesmo tempo, é importante reduzir ou eliminar eventuais tarifas. Todas essas características pertencem ao recém-chegado WhatsApp Pay.

Quer saber como esse mecanismo funciona e por que sua empresa deve se preparar para ele? Confira os principais detalhes, a seguir!

O que é o WhatsApp Pay?

Habilitado para ser executado nas plataformas iOS e Android, o WhatsApp Pay surge como mais uma alternativa às tradicionais formas (DOC e TED) de transferência bancária. Otimizado tanto para as contas do usuário comum quanto para o WhatsApp Empresas (Business), o novo recurso dispensa a adição de taxas vinculadas ao procedimento.

Contudo, fica a ressalva quanto a cobranças extras atreladas ao processamento de vendas. Isso quer dizer que as organizações com contas no WhatsApp Empresas pagam uma tarifa de 3,99% a cada nova comercialização de algum item. Além disso, note que existe um intervalo de dois dias entre o pagamento do cliente e o recebimento.

Como funciona o Whatsapp Pay?

Antes de tudo, observe que nem todas as versões dos sistemas da Apple e do Google para dispositivos móveis contam com a novidade. Assim como acontece com a inclusão dos demais mecanismos que chegam às plataformas, o WhatsApp Pay deve ficar disponível a todos os usuários de forma gradativa.

Para testar o uso da função, é necessário confirmar que a mais nova versão do sistema operacional do dispositivo está disponível para o aparelho e, é claro, instalada. Vale lembrar que, atualmente, o WhatsApp pertence ao Facebook. Isso ajuda a entender por que o funcionamento em si da ferramenta está atrelado ao Facebook Pay.

Confirmada a disponibilidade do método, o usuário habilita o número do celular vinculado ao WhatsApp, cria um PIN e cadastra um cartão (débito ou crédito) de um parceiro do Facebook. Como em outros lançamentos, a quantidade de opções ainda é limitada a algumas instituições. Porém, já existe expectativa para o ingresso de outras, em breve.

Essa é a lista de participantes (bandeiras Visa e Mastercard) na metade de 2021:

  • Next;
  • Itaú;
  • Bradesco;
  • Banco do Brasil;
  • Nubank;
  • Mercado Pago;
  • Banco Inter;
  • Sicred.

Depois da concretização das transações, as partes envolvidas no processo podem conferir diferentes status, que sinalizam se a ação está em processamento, se já foi concluída ou permanece pendente. Além disso, o histórico dos procedimentos fica inserido no registro das conversas do aplicativo.

Em termos de legalidade da metodologia de pagamento, a regulamentação se dá pela Lei nº 12.865, de 2013. Ela aborda exatamente as diferentes vertentes de transações financeiras viabilizadas por meio de dispositivos eletrônicos.

Quais são os limites de transações?

Por enquanto, estão liberadas até 20 transferências, de até R$1 mil cada, para o usuário pessoa física. Ao longo do ciclo de 30 dias, o total movimentado não pode ultrapassar R$5 mil. Essas limitações não se aplicam às empresas que utilizarem o WhatsApp Business.

Como tem sido essa fase de inovações bancárias no Brasil?

Após a excelente repercussão causada pela implantação do Open Banking e a chegada do Pix, o WhatsApp Pay deixa um recado inequívoco quanto a um profundo e contínuo processo de mudança. Com a missão de proporcionar maior agilidade, mas sem perder a segurança, essas inovações têm tudo para dominar o mercado daqui a algum tempo.

Um importante indício disso vem do lado oriental. Para se ter uma ideia, a China — uma das maiores referências comerciais e tecnológicas do mundo — já trata as transações feitas por cartão como algo obsoleto.

Não será necessariamente no ano seguinte ou no próximo, mas vale dizer que há até especialistas que consideram viável a transformação do WhatsApp em um novo Wechat. Nesse aplicativo chinês, os usuários conseguem adquirir produtos ou contratar serviços sem a intermediação de outras ferramentas.

No Brasil, dados para comprovar o potencial da nova forma de pagamento não faltam. O volume de smartphones com o WhatsApp instalado, por exemplo, já alcançou a impressionante marca de 99%. Se você considerar que, desse total, 93% usam o app diariamente, é possível supor que o processo de adesão massiva ao WhatsApp Pay não deve demorar muito.

De modo geral, o panorama anunciado pela introdução de inovações bancárias vem agradando os consumidores. Já é possível encontrar pesquisas que apontam o crescimento de 13% do nível de satisfação dos clientes com seus bancos após a adesão ao Pix.

Trata-se de um indicativo relevante quanto ao potencial de consolidação desse tipo de inovação. As projeções levam a crer que o WhatsApp Pay deve percorrer o mesmo caminho — com chances consideráveis de assumir ou dividir certo protagonismo, em um futuro não tão distante.

Quais os impactos desses recursos em pequenos e médios negócios?

Essencialmente para pequenas e médias empresas, a inovação gerada a partir da possibilidade de se efetuar e receber pagamento via WhatsApp é mais do que bem-vinda. Cada vez mais onipresentes no mundo real, os celulares passam a centralizar um volume de funções maior, a cada ano que fica para trás. A possibilidade de pagar via interface de um simples aplicativo de mensagens é atrativa, ágil e direta.

Fato é que o consumidor moderno está em busca dessas características. Na visão dos clientes, quanto mais praticidade e dinamicidade, melhor. Logo, eles tendem a buscar empresas que estejam alinhadas aos processos inovadores do momento.

Tendo em vista a recente expansão do e-commerce, desencadeada pelo período desafiador da economia, sobram razões para que os gestores fiquem atentos às novidades. Isso porque a oferta dessas funcionalidades será decisiva para a conquista e fidelização de clientes.

Qual é a importância do cuidado com fraudes?

Como gestor, você também precisa se precaver quanto a possíveis brechas que facilitem a ocorrência de fraudes. Nesse sentido, os cuidados devem ser múltiplos e abrangentes, como saber se um e-mail é falso ou checar o verdadeiro remetente de uma mensagem enviada pelo WhatsApp.

Ações fraudulentas podem tanto gerar prejuízos financeiros quanto arranhar a imagem de uma organização. Por isso, em um negócio online, é altamente recomendável seguir essas orientações:

Ao tomar essas e outras medidas, você se certifica de que sua empresa possa participar do mercado de vendas online de maneira realmente segura. Não há dúvida quanto à força da tendência e as vantagens propiciadas pelo WhatsApp Pay. No entanto, tenha sempre em mente a importância de erguer uma barreira de proteção robusta e moderna para seu negócio.

Para conhecer outras dicas de segurança para sua empresa, siga a gente no Facebook, Instagram, LinkedIn e YouTube!

Publicada em 11/08/2021 - Fonte: Serasa Experian
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: