Plano de ação empresarial: como avaliar em situações adversas?

Gestão
plano de ação empresarial

A atuação no mercado reserva uma série de riscos, alguns previsíveis e outros totalmente inesperados. Por essa razão, nenhum negócio está imune às adversidades. Na realidade, elas farão parte da trajetória da empresa, solidificando ainda mais as suas bases. Por isso, todo negócio necessita de um plano de negócios e de um bom plano de ação empresarial, sobretudo para saber como agir diante de cenários complexos.

Diferentemente do que muitos empresários imaginam, a solidez de um negócio não é verificada apenas em períodos de normalidade, com resultados positivos. Na verdade, esse importante atributo empresarial é realmente posto à prova em situações adversas, momentos em que as decisões precisam ser tomadas de forma ainda mais precisa e ágil. Daí a importância do plano de ação empresarial.

A seguir, preparamos um artigo completo para falar um pouco mais sobre esse plano e mostrar como você deve avaliá-lo em situações adversas. Continue a leitura e confira!

Como funciona o plano de ação empresarial?

O plano de ação empresarial é, sem dúvida, uma das medidas mais importantes para negócios que se deparam com cenários complexos, inesperados e altamente desafiadores. Esse plano de ação está diretamente conectado à solidez do negócio, pois o ajudará a contornar adversidades de forma mais estratégica.

Na prática, um plano de ação nada mais é do que uma espécie de roteiro que, considerando a atual situação da empresa, suas limitações e potencialidades, define objetivos e metas a serem atingidas em um determinado período, além de ações pontuais que ajudarão o negócio a alcançar esses objetivos dentro do prazo previsto.

Tomando como base o cenário atual, em que mudanças sensíveis ocorreram no mercado, muitos negócios se viram obrigados a colocar planos de ação em execução, com o objetivo de contornar os mais diferentes problemas, como a queda brusca no faturamento, a impossibilidade de se realizar vendas físicas, a baixa demanda de clientes, as restrições logísticas e tantos outros.

Como situações adversas influenciam na criação do plano de ação?

As influências ocorrem de forma direta no plano de ação empresarial. Isso porque, quando o negócio enfrenta um momento mais complexo e desafiador, fatores como o tempo pesam bastante na definição do plano e, mais ainda, na sua execução. Nesse sentido, é comum que se tenha uma grande necessidade por decisões rápidas e ações mais pontuais, o que pode fazer com que as avaliações necessárias para a boa estruturação do plano de ação empresarial sejam mais rasas.

O cenário complexo atual fez com que muitos empresários e gestores repensassem a forma como o plano de ação deve ser montado. É preciso ser rápido e certeiro, pois o tempo é um fator que pesa negativamente sobre os resultados das empresas, e a demora pode significar prejuízos financeiros, evasão de clientes e enfraquecimento da marca.

Assim, é preciso identificar os problemas, entender as suas origens, encontrar possíveis soluções — que sejam viáveis e, ao mesmo tempo, gerem resultados de forma ágil. Sobretudo, é fundamental desenvolver um plano de ação que permita o acompanhamento dos resultados, avaliando periodicamente se as leituras feitas e as estratégias adotadas estão surtindo os efeitos desejados.

Em situações adversas, não há problema caso o plano de ação empresarial não seja totalmente eficiente, conforme se esperava. Contudo, é preciso identificar rapidamente eventuais problemas nesse plano e corrigi-lo, para que o negócio consiga contornar os desafios da maneira mais produtiva possível. Isso precisa estar muito claro na mente do empresário, do gestor e do empreendedor.

Como avaliar o plano de ação em situações adversas?

O sucesso de um plano de ação empresarial depende de uma avaliação constante, buscando sempre identificar se os resultados estão coerentes e se ajustes podem ser necessários. Nesse sentido, alguns passos são fundamentais. Vejamos!

Tenha clareza sobre o que se pretende solucionar

Umas das formas de se avaliar o plano de ação empresarial e entender se ele está bem ajustado para a empresa é respondendo alguns questionamentos-chave:

  • há clareza quanto ao problema que se pretende solucionar com o plano de ação?
  • o que pode ser feito para reverter a situação?
  • quais opções a empresa tem à sua disposição para facilitar o caminho?
  • a ação é viável, considerando o prazo e os recursos que se tem?

Em cenários de desafios internos ou de alterações no mercado, como vem ocorrendo recentemente, diferentes problemas podem surgir, como a perda de clientes, queda no faturamento, desorganização financeira, necessidade de alteração na estratégia de negócios e outros. É preciso que o problema esteja bem definido, pois é a partir dele que o plano de ação será desenvolvido.

Considere sempre os prazos

Além da clareza quanto ao problema, é essencial que haja uma preocupação com os prazos, pois, como dito, situações adversas exigem soluções pontuais, ainda que provisórias. Aqui, a recomendação é focar em ações de curto prazo para que você consiga testar a eficiência das medidas rapidamente e, caso necessário, fazer ajustes.

Nesse momento, não é recomendado buscar soluções inusitadas ou arriscadas, pois o tempo para avaliação dos resultados precisa ser curto, a fim de que a empresa tenha um direcionamento sobre seu plano de ação, avaliando dia a dia, semana a semana, se ele está funcionando conforme o planejado — o que não é possível quando se coloca em prática planos inusitados ou altamente inovadores.

Acompanhe de perto os resultados

Em situações adversas, o plano de ação empresarial precisa dar uma importância ainda maior para os indicadores. São os KPIs os responsáveis pode mostrar aos gestores e líderes como as ações estão surtindo efeito na prática. Por exemplo, KPIs de vendas e os financeiros, acompanhados periodicamente, vão conduzir melhor a empresa pelo caminho certo, mostrando que é hora de ajustes, novas estratégias e investimentos.

Reformule as estratégias sempre que necessário

Por último, é preciso que se faça a avaliação e reformulação do plano. Assim, ao se acompanhar os indicadores e verificar que eles não estão condizentes com as metas e objetivos desejados, é hora de se reformular as estratégias, pensar em um plano “B” e saber qual será o caminho a partir daí.

Por outro lado, se indicadores estiverem da forma desejada, o problema está resolvido. Então, é hora de passar para o próximo problema ou seguir no aprimoramento das operações, caso a solução encontrada, por exemplo, tenha gerado resultados mais satisfatórios do que o esperado, alavancando ainda mais o business com a solução desenhada.

Como cenários complexos afetam o plano de ação empresarial dos negócios?

Considerando o cenário de adversidades atual, de forma geral, os pequenos empresários claramente foram os mais afetados. Essa realidade vem ao encontro da necessidade de se pensar e executar um bom plano de ação empresarial, no qual a criatividade se torna um fator decisivo para o sucesso.

Nesse momento, todas as certezas do negócio são continuamente colocadas à prova! E principalmente agora, ter uma visão clara sobre o negócio, ou seja, saber quais são as fortalezas e fraquezas tornou-se um fator ainda mais decisivo para tomar decisões, apostar em algumas estratégias e abandonar outras.

Diante dos desafios impostos, o empresário que já conhecia muito bem o seu negócio, que tinha um controle eficiente dos seus processos e estava mais aberto à inovação e mudanças, certamente será mais rápido na definição do seu plano de ação. Por outro lado, o empresário que era resistente às mudanças e estava habituado a atuar com base em processos tradicionais, embora possa enfrentar mais dificuldades, ainda assim pode fazer desse o momento para inovar, modernizar processos, utilizando a tecnologia, os canais digitais, os dados e os indicadores a seu favor.

Além disso, é hora de exercitar a criatividade. O plano de ação pode abarcar diferentes ações, desde entregar o produto de uma forma diferente, intensificar o marketing até apostar em novos canais de vendas, investir em parcerias e buscar novos públicos.

Por fim, as situações adversas impulsionam muitos negócios a olhar para “fora da caixa”, buscando saídas para se adaptar à realidade e permanecer firme no mercado. O plano de ação empresarial, como vimos, tem uma grande importância nesse momento.

Gostou deste conteúdo? Aproveite para seguir se informando mais sobre esse e outros temas relevantes. Assine nossa newsletter e receba nossos artigos em primeira mão!

Publicada em 15/07/2020 - Fonte: Serasa Experian
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: