Como manter a organização financeira da sua empresa em 2021

Gestão
organização financeira

Para que qualquer empresa tenha um presente sólido e um futuro promissor, ela precisa estar amparada em boas práticas de organização financeira. Afinal, todo o planejamento, a administração e o bom uso de recursos dependem disso. Tais características são fundamentais em qualquer cenário, principalmente, em um recorte marcado por recessão econômica.

Ao adotar medidas semelhantes àquelas realizadas por empresas que conseguem contornar períodos desafiadores, você fortalece as bases do seu negócio. Isso é indispensável para que, conforme a retomada da economia avance, ele tenha condições de aproveitar as oportunidades que surgirem.

A seguir, nós mostramos o que você realmente pode fazer para preservar a saúde financeira do seu negócio, mesmo em tempos difíceis. Acompanhe!

Principais causas da desorganização financeira em pequenas empresas

Antes das dicas, entretanto, vale a pena mencionar algumas das causas mais frequentes de uma gestão financeira ruim. Seja qual for o ramo do seu negócio, ficar por dentro das raízes do problema facilita na descoberta dos gargalos financeiros.

Descontrole de contas a pagar e a receber

Em teoria, todo empresário sabe que o sucesso da sua organização está ligado à capacidade de gerenciar receitas, custos, despesas e investimentos. Ocorre que, cotidianamente, seja por inexperiência, seja por falta de conhecimento, as coisas começam a se perder pelo caminho.

O resultado, que não costuma demorar muito para dar as caras, é o acúmulo de contas a pagar, acompanhado de sucessivos atrasos dos recebimentos. Um dos grandes empecilhos da melhora do faturamento consiste na distância desproporcional entre os recebimentos a prazo e as datas de pagamentos dos fornecedores.

Soma-se a isso a perda de receita motivada por produtos ou serviços com desempenho de vendas aquém do projetado. Quando não se consegue ter uma visão micro e macro do dinheiro que movimenta o negócio, fica complicado fazê-lo girar.

Excesso de processos manuais

Também é oportuno frisar que estamos em plena era da evolução digital, o que favorece a automação de diversos processos. Na contramão, as empresas que insistem em ignorar as facilidades proporcionadas pelas ferramentas tecnológicas são facilmente superadas pela concorrência.

Definitivamente, não há razão para deixar de investir em uma infraestrutura de gestão financeira moderna, menos suscetíveis à falha humana. Com as soluções ideais, é igualmente possível economizar tempo, além de poupar os colaboradores quanto à realização de tarefas repetitivas e, por consequência, cansativas.

Dicas para melhorar a organização financeira da sua empresa

Felizmente, basta implantar algumas medidas precisas para colocar as finanças do seu negócio em ordem. Para tanto, é necessário agir de forma estratégica. Em outras palavras, é preciso saber exatamente onde se pretende chegar e, mais importante, definir quais rotas serão usadas para concluir o trajeto.

Pense na escalabilidade do negócio

No início deste post, falamos a respeito de novas oportunidades de negócios, as quais se relacionam com a expansão das operações da empresa. Outro ponto a ser observado se refere à ampliação da base de clientes. Em ambos os casos, é necessário ter à disposição um plano detalhado.

Algo que não pode faltar é a segmentação dos clientes. Com ela, sua empresa passa a criar campanhas de marketing customizadas, o que aumenta as chances de conversão em vendas e de fidelização, que podem trazer:

  • maximização do faturamento;
  • extensão da fatia de mercado atendida pela empresa;
  • melhor acompanhamento do processo de mudança comportamental dos consumidores;
  • aprimoramento da experiência de compra.

Tenha um inventário patrimonial

Organização também é palavra obrigatória em meio à rotina contábil. A fim de manter um controle preciso sobre a desvalorização de ativos não circulantes, recorre-se ao chamado teste de Impairment (depreciação, em português).

Por meio do inventário patrimonial, os gestores conseguem catalogar todos os itens pertinentes e inseri-los em um cadastro atualizado. O processo é igualmente útil para corrigir erros vinculados aos lançamentos contábeis, bem como revelar o valor contábil individual dos referidos bens.

Via Impairment, é possível garantir que esse valor possa ser recuperado por intermédio de sua própria utilização na geração de receita. Diante da impossibilidade de o bem produzir riqueza para o negócio, verifica-se a probabilidade de retorno pela sua comercialização junto a terceiros.

Realize o controle sistêmico

Esse controle é fortemente atrelado à adoção de um ERP (Planejamento de Recursos da Empresa, em português) e de um CRM (Gestão de Relacionamento com o Cliente, na tradução). As duas ferramentas têm funções diferentes, assim como proporcionam vantagens distintas.

Entre outras funções, de um lado, o ERP automatiza e aperfeiçoa processos. De outro, o CRM estabelece uma base de dados integrada a respeito dos clientes. Ambos deixam a empresa mais funcional, eficiente e próxima de alcançar seus objetivos.

Invista em ações de redução de custo

Como diminuir os custos operacionais é igualmente relevante, atenha-se ao uso de métodos que tornem os processos mais enxutos e exatos. Um ótimo exemplo consiste na filosofia Seis Sigma, voltada à máxima estabilidade de qualidade daquilo que é ofertado aos clientes. Devido a ela, você reduz o retrabalho e eventuais desperdícios e prejuízos derivados dele.

Capacite os colaboradores

Elaborar um cronograma de treinamento ajuda a manter os funcionários atualizados acerca das novidades e melhores práticas do mercado. Não basta implantar uma cultura de inovação, se os colaboradores estiverem despreparados para aplicá-la diariamente em seus departamentos. Isso não somente eleva a lucratividade do negócio, como sinaliza a relação da marca com o futuro.

Pratique uma gestão financeira inteligente

Para tanto, é necessário:

  • adotar as melhores ferramentas para análise de crédito;
  • monitorar a carteira dos clientes;
  • desenvolver um sistema de cobrança.

Observe que os dois primeiros fatores atuam em consonância. Além de conferir a capacidade de pagamento dos clientes, você precisa de uma solução que proporcione monitorar ocasionais alterações em tempo real. Caso eles tenham o CNPJ ou CPF negativados, por exemplo, a informação é transmitida via e-mail. Desse modo, é possível pensar em alternativas com maior antecedência.

Por sinal, sempre que necessário, seu negócio também deve ter um sistema de cobrança digital. Existem diferentes maneiras e estratégias de cobrança. Cabe a você selecionar aquela que recupera o crédito e os próprios consumidores, que ainda podem voltar a ser clientes no futuro.

Como a Serasa Experian pode ajudar sua PME a se organizar financeiramente

Com o suporte prestado pelas soluções da Serasa Experian, você passa a ter acesso ao maior banco de dados da América Latina. Isso significa que os relatórios oferecidos exibem um índice de exatidão muito acima da média presente no mercado.

A partir do momento em que você começa a gerir as finanças do negócio com soluções pontuais e precisas, a conquista da organização financeira se transforma em realidade. Como destaque, a Serasa Experian os serviços de:

Dessa maneira, a Serasa Experian fornece todo o apoio que você precisa, desde a avaliação de clientes à cobrança de inadimplentes. Assim, seu negócio fica apto a lidar com qualquer cenário econômico — mesmo diante de eventos completamente inesperados.

Ao longo deste post, você conferiu as principais dicas para que sua empresa desfrute da organização financeira desejada. Isso é vital para que seu negócio se mantenha competitivo e lucrativo. Se parcelar as vendas for uma necessidade para atingir tamanho objetivo, o procedimento precisa ser efetuado de maneira criteriosa.

Publicada em 16/01/2021 - Fonte: Serasa Experian
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: