ICMS: você deve pagar esse imposto? Entenda o que é

Gestão
icms

Se você ainda é um pequeno empreendedor e quer começar do jeito certo, existem alguns detalhes que precisam da sua atenção. Além da elaboração de um planejamento financeiro detalhado, é fundamental verificar quais tributos incidem sobre as atividades do seu negócio. Um deles é o chamado ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços).

Caso faça parte da lista de tributos ligada à sua empresa, resta conhecer os detalhes relacionados a ele, como o cálculo e as possibilidades de isenção. Para conferir esses e outros aspectos importantes atrelados a esse importante tributo, continue conosco!

O que é ICMS?

Como o próprio nome indica, trata-se de um tributo que aparece durante o deslocamento de mercadorias. Aqui, o primeiro ponto a se observar é que o ICMS incide sobre qualquer tipo de produto: desde alimentos a equipamentos eletrônicos. Com relação aos serviços, estão inclusos os transportes efetuados entre municípios e estados brasileiros.

Outro aspecto relevante, que também pode virar um problema, é o fato de que o ICMS é de competência estadual. Em outras palavras, cada estado regulamenta suas próprias regras e valores para realizar a cobrança do tributo.

Você deve ficar de olho no que diz a legislação das unidades federativas, pois elas apresentam certas particularidades em relação às alíquotas aplicadas e aos casos de isenção. Por fim, as importações de produtos também geram ICMS (alíquota de 4%).

Agora, vamos entender como calcular o ICMS!

Como calcular o ICMS?

Basicamente, você precisa de duas informações para efetuar o cálculo:

  • preço da mercadoria;
  • alíquota praticada.

A partir daí, é simples, pois basta fazer uma multiplicação, resultando na fórmula:

ICMS = preço da mercadoria x alíquota

Para ilustrar, imagine que o preço inicial de um item da sua loja está fixado em R$300,00 e que você o venderá no mesmo estado de origem da empresa. Se a alíquota exigida é de 15%, isso significa que a comercialização do produto nessa região acarretará um ICMS de R$45,00. Logo, o preço final de venda será de R$345,00, já que o tributo fica embutido nele.

Mas o que acontece se você vender o mesmo item em outro estado? Nesses casos, é preciso incluir o Difal (Diferencial de Alíquota). Ele serve para criar um equilíbrio entre os estados. Na prática, se a região de origem pratica uma alíquota de 15% e a outra, de 9%, o Difal será de 6% (15 – 9).

Além disso, lembre-se de que o Simples Nacional já inclui o ICMS entre seus tributos. Então, você só precisa se preocupar com sua DAS MEI.

Quem é isento do ICMS?

A isenção se aplica à circulação de livros e jornais. Outras operações isentas são aquelas realizadas com:

  • ouro;
  • energia elétrica;
  • insumo agrícola;
  • arrendamento mercantil;
  • combustíveis.

O que acontece se ficar inadimplente?

Assim como acontece com qualquer outro tributo com saldo devedor, ele ganha o acréscimo de juros e multa, determinados pela lei dos estados. Além disso, existe uma jurisprudência do STF, em que a identificação de manobra ilícita por parte do empresário pode se configurar como crime.

Nesse último caso, a lei prevê detenção de seis meses a dois anos — mas tudo depende da avaliação de uma série de fatores.

Como pagar o ICMS?

O recolhimento é feito via Sefaz (Secretaria do Estado da Fazenda) de cada região. Após o cadastro no órgão do estado em questão, a empresa recebe uma IE (Inscrição Estadual) e procede com as respectivas obrigações fiscais.

Por se tratar de uma área um tanto complicada, a gestão tributária exige um conhecimento minimamente aprofundado para evitar equívocos. A fim de ficar em dia com o Fisco, você precisa levar em conta alguns aspectos, como aprender calcular a capacidade de pagamento da sua empresa. Assim, o ICMS e outros tributos devem ser incluídos na conta.

Se você ainda está apenas começando, veja quais impostos o MEI precisa pagar!

Publicada em 23/02/2022 - Fonte: Serasa Experian
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: