Habilidades e competências para gestores de pequenas e médias empresas

Gestão
habilidades e competências

A gestão de sucesso em pequenas e médias empresas passa por investir em desenvolvimento e buscar o aprendizado contínuo. Afinal, o mercado e os clientes mudam a todo instante, independentemente do setor de atuação.

Nesse sentido, um líder deve não só se manter atualizado com as tendências, como também trabalhar habilidades de gestão, além de competências técnicas para conseguir acompanhar os movimentos do mercado e continuar trazendo bons resultados para o negócio.

Saber como resolver conflitos, ter inteligência emocional e ser polivalente, por exemplo, ajuda não só o líder a resolver os desafios da gestão como se sobressair no mercado. Confira habilidades e competências que gestores de pequenas e médias empresas não podem deixar de desenvolver!

Resolução de conflitos

Conflitos acontecem a todo o momento. Seja entre a equipe, áreas ou, até mesmo, com outros players do negócio, como clientes e fornecedores. Nesse cenário, saber como resolver conflitos é uma habilidade que não pode faltar a um gestor.

Além de saber escutar, para se certificar que entendeu o que motivou o conflito entre as partes, o gestor deve entende a importância de agir rápido e não se deixar intimidar pela situação. Afinal, seu papel é de ser um facilitador.

Clareza na comunicação

Entre as habilidades e competências que fazem a diferença na carreira de um gestor está a clareza na comunicação. Muitos problemas poderiam ser resolvidos e, até mesmo, evitados se as pessoas soubessem como se comunicar.

O líder que domina essa técnica não só é objetivo na forma como se comunica, como também se certifica que a outra parte entendeu a mensagem. Para adquirir essa habilidade, é importante saber que clareza na comunicação passa longe de ter apenas um vocabulário extenso: é adaptar o discurso a quem está recebendo a mensagem.

Inteligência emocional

Muito se fala sobre inteligência emocional, mas nem todos os gestores têm a habilidade necessária para colocar o conceito em prática no dia a dia na empresa. Ser inteligente emocionalmente significa saber como administrar as próprias emoções, além de ter empatia e buscar compreender as emoções dos outros, agindo proativamente na construção de relações saudáveis.

Uma das dicas para adquirir mais inteligência emocional é se interessar pelas histórias e vivências de outras pessoas, mesmo que não as conheça muito bem. Com isso, o gestor também pode identificar seus pontos fortes e fracos, o que permite trazer análises e feedbacks construtivos para seu time.

Foco no cliente e visão de negócio

Um gestor de PME precisa, ainda, ter foco no cliente e visão de negócio. Na prática, isso quer dizer que o líder que adquire essa característica não olha apenas para o lucro: ele sabe que parte da sua função é dar ao cliente tudo o que ele precisa. Ter foco no cliente passa também por estimular trocas constantes de conhecimento entre a equipe para atingir os anseios do público-alvo e zelar por aqueles que são fiéis à marca.

A visão de negócio compreende a definição de como aplicar no dia a dia a missão, visão e valores da empresa. Ou seja, o gestor que tem visão a aplica mesmo em tarefas cotidianas, sempre visando ser coerente com a imagem que sua marca definiu para si. Ou seja, ter visão de negócio passa por ter clareza sobre o que o negócio é e, também, sobre onde ele deseja chegar, o que é essencial para uma gestão estratégica.

Polivalência

Adquirir conhecimento de áreas diversas e compreender a dinâmica dos diferentes departamentos da empresa é inegociável para um gestor de pequena e média empresa.

Afinal, esse profissional exerce diversos papéis dentro do negócio e não há como ter sucesso nessas diversas funções sem ter o conhecimento técnico e de processos que são necessários para isso. Entre as ações indispensáveis para quem quer se tornar um gestor polivalente estão contribuir com diversos setores da empresa, fazer networking constantemente e apostar na capacitação.

Gestão do tempo

Entre as habilidades e competências necessárias para gestores de PMEs não pode faltar a de gestão do tempo. Afinal, são profissionais com o dia corrido e que, muitas vezes, têm dificuldades para organizar as horas disponíveis para fazer tudo o que precisam, seja na vida pessoal ou profissional. Com isso, perdem muito em qualidade de vida.

Adquirir a habilidade de gerir bem o tempo significa organizar as horas do dia e respeitar essas definições. Um profissional como uma boa gestão do tempo não é aquele que trabalha mais horas e, sim, o que aproveita o seu tempo de forma sábia, tornando-se cada vez mais produtivo.

Resiliência

Um gestor de PME também se beneficia da habilidade de ser resiliente, ou seja, se adaptar às mudanças sem dificuldades e se recuperar caso sofra um contratempo no caminho. Algumas pessoas já são assim naturalmente, mas a boa notícia é que essa é uma característica que pode ser adquirida com o tempo.

Para se tornar um gestor mais resiliente é preciso adotar atitudes como buscar sempre se manter conectado com a equipe, ter uma atitude positiva perante os desafios do dia a dia e, até mesmo, buscar olhar mais para si, para se conhecer melhor e não levar as dificuldades da rotina profissional para o lado pessoal.

Vimos neste artigo, como a inteligência emocional, clareza na comunicação, foco no cliente e visão de negócio etc. estão entre as habilidades e competências que os gestores de pequenas e médias empresas não podem abrir mão. Mesmo quem não tem essas características pode buscar desenvolvê-las para se tornar um profissional mais qualificado, alinhado com as tendências do mercado e apto a alcançar resultados cada vez melhores para seu negócio e para sua equipe.

Gostou deste conteúdo sobre habilidades e competências? Então confira também nosso e-book ABC da gestão: desafios e caminhos para as PMEs na prática, fique por dentro do cenário atual das empresas e aprimore ainda mais sua atuação como gestor.

Publicada em 23/12/2020 - Fonte: Serasa Experian
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: