É possível evitar fraude de clientes no meu comércio varejista?

Negócios
evitar fraudes de clientes

Nenhuma empresa está livre de ações fraudulentas, mas há algumas medidas que podem ser aplicadas para tentar evitar fraude de clientes e viver uma relação saudável no seu comércio.

Golpes e fraudes têm sido frequentes nos últimos tempos. De acordo com um estudo da Serasa Experian, o setor do varejo registrou 167 mil tentativas de golpe e os brasileiros sofreram uma tentativa de fraude a cada 8 segundos, no primeiro semestre de 2021.

Nesse sentido, é importante conhecer boas práticas para aumentar a segurança do negócio. Adotar atitudes como cadastro de clientes e política de crédito podem ser positivas para isso. Continue a leitura e veja mais dicas sobre o assunto!

Fraudes mais comuns no varejo

Infelizmente, fraudes em empresas são comuns, e quem trabalha no comércio varejista está suscetível a diversos tipos de golpes. Entre eles, falsos pagamentos e uso indevido de dados de terceiros.

As fraudes, físicas ou digitais, causam diversos transtornos 一 além de afetar consideravelmente as finanças, há o gasto de tempo da equipe e riscos para a imagem da empresa. É importante que empreendedores e companhias do setor deem atenção a essa situação para aumentar a segurança das vendas.

Pagamento com dados de terceiros

Fraudadores podem utilizar dados roubados de terceiros para fazer compras em seu comércio no crediário ou com cartão de crédito. Quando a pessoa que teve os dados clonados perceber a situação, provavelmente, solicitará o cancelamento da compra.

Se ela já tiver sido entregue, ou despachada, você perderá o produto. É necessário conferir os documentos com atenção antes de autorizar a compra para evitar prejuízos financeiros no seu negócio.

Falso pagamento

Em outro tipo de fraude que, normalmente, acontece por e-commerce ou venda pelas redes sociais, o cliente faz uma compra e envia um comprovante de pagamento adulterado.

Não confie em comprovantes enviados por e-mail ou aplicativos de mensagem, como o WhatsApp. Antes de enviar o produto, confirme se o valor está disponível em sua conta.

Chargeback

Chargeback é um termo relacionado ao cancelamento do pagamento de uma compra pela operadora do cartão de crédito. A situação pode acontecer quando a compra é feita por fraude e contestada pelo titular do cartão, quando o cliente alega desacordo comercial (compra não entregue, com defeito etc.), ou mesmo, por má-fé da pessoa, que ao receber o pedido informa que a compra foi indevida, ou que não foi entregue, e solicita o reembolso.

Quando uma contestação é aberta, o vendedor deve apresentar todos os comprovantes da negociação e da entrega. Por isso, é fundamental ter um processo de vendas adequado e armazenar todos os recibos e notas.

Outro ponto de atenção é que as bandeiras do cartão podem penalizar empresas com muitos pedidos de chargeback. Sendo assim, é preciso ter uma boa análise de risco, o que pode incluir a contratação de empresas e softwares especializados para evitar ações fraudulentas.

Ataques de phishing utilizando o nome da loja

Esse não é um tipo de fraude de cliente, porém, é importante entender sobre ele para proteger a imagem da sua empresa e seus consumidores. No ataque de phishing, cibercriminosos utilizam nome de lojas para entrar em contato com consumidores oferecendo falsas ofertas ou brindes, e fazer com que eles cliquem em links maliciosos.

Esses links, geralmente, levam até páginas falsas, que são usadas para capturar dados pessoais e podem resultar em compras indevidas. Caso isso aconteça com o seu comércio, é fundamental entrar em contato com o seu público com rapidez para informar a situação e evitar que as pessoas forneçam dados aos golpistas.

Boas práticas para evitar fraude de clientes no varejo

Agora que você já viu alguns exemplos de fraudes que podem acontecer no comércio, vamos mostrar como proteger o seu e-commerce ou a sua loja física.

A Pesquisa Global de Identidade e Fraude 2021 mostra que, além do investimento para mudanças digitais, as empresas continuam aumentando seus orçamentos na prevenção a fraude. Uma das dicas para isso é investir em ferramentas e tecnologia para melhorar a segurança das transações.

Tenha uma política de crédito e cobrança

Implementar uma política de crédito e cobrança é uma boa alternativa para tentar evitar fraude de clientes no varejo. Ao definir os critérios para pagamento, cadastro de clientes e análise de crédito com consulta ao CPF, a sua loja consegue obter dados mais precisos para realizar uma negociação mais segura, reduzindo inadimplência e o uso indevido de dados de terceiros.

Invista na capacitação da equipe

Além de implementar uma política de vendas, procure treinar a equipe para realizar os procedimentos de maneira adequada. Dessa forma, os profissionais entendem quais etapas devem realizar antes de concretizar o negócio, e também como se comportar no pós-venda.

Busque recursos tecnológicos

Se você trabalha com loja virtual, é fundamental investir em recursos tecnológicos para aprimorar a segurança das vendas digitais. Além de reduzir risco de fraudes, essas ferramentas geram mais confiança sobre a sua loja.

Uma das soluções para isso é o Certificado Digital SSL, que aumenta a segurança das informações dos clientes e impede que dados pessoais ou bancários sejam interceptados ou visualizados por pessoas indevidas.

Outro procedimento de segurança é manter a plataforma de vendas online atualizada para corrigir possíveis erros e vulnerabilidades que aumentem os riscos de golpes em sua loja e facilitem o acesso aos dados dos clientes.

Analise o histórico de compra dos clientes

Conhecer o comportamento de compras dos seus clientes é outra atitude positiva para reduzir fraudes. Normalmente, eles fazem negociações parecidas e que são entregues no mesmo endereço.

Sendo assim, se houver algum comportamento fora do comum, você pode tomar atitudes para confirmar se a aquisição é verídica. Também há sistemas antifraudes que cruzam informações de compra dos clientes e podem emitir avisos em casos de transações suspeitas.

Garanta conformidade com a LGPD

De acordo com a LGPD, Lei Geral de Proteção aos Dados, as empresas são obrigadas a estabelecer normas e ferramentas para garantir a privacidade dos dados dos usuários. Solicite apenas aqueles necessários para realizar o cadastro e concluir o negócio com segurança.

Ao coletar os dados, você deve explicar como essa informação será utilizada. Além disso, é preciso investir em formas de armazenamento seguras para evitar que esses dados sejam vazados.

Os golpes físicos ou virtuais podem acontecer com lojas de variados portes e segmentos. Por isso, é importante que o seu negócio implemente ações e ferramentas para evitar fraude de clientes. A Serasa Experian pode ser útil para isso! A empresa conta com soluções que ajudam a conhecer o perfil de seus clientes e aumentar a segurança das vendas.

Quer mais proteção para o seu negócio? Então, acesse o site e cadastre a sua empresa agora mesmo!

Publicada em 01/10/2021 - Fonte: Ana Abritta
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: