Tudo sobre empréstimo para pequenas empresas

Aprenda Serasa Sebrae
empréstimo para pequenas empresas

A concessão de empréstimo para pequenas empresas é, para a maioria das pessoas, um verdadeiro bicho-papão. Mas sabemos que isso não deveria ser assim. Tudo bem que se comprometer dessa forma implica riscos, mas se bem pensada e planejada, a solicitação de créditos pode trazer ótimas oportunidades.

Para que você não fique pisando em ovos sobre o assunto, muito menos, fugir dele, neste artigo, vamos apresentar tudo o que precisa saber em relação a linhas de acesso a crédito. Você vai entender como saber o momento certo para pedir empréstimo e como fazer isso. Confira!

Como saber se minha empresa precisa de empréstimo?

Todo empreendedor, quando inicia seu pequeno negócio, tem medos, dores e barreiras a superar. Isso é perfeitamente normal, afinal, existe muita coisa em jogo, não é mesmo? Dinheiro economizado durante anos, família, tempo e riscos entram nesse cálculo.

Não é à toa que a concessão de empréstimo para pequenas empresas não é só uma das alternativas mais buscadas, mas também, uma grande fonte de dúvidas para a maioria dos pequenos empresários. Muitas vezes, é justamente esse medo todo que atrapalha o seu negócio.

Segundo uma pesquisa realizada pela Empresômetro, no Brasil, temos cerca de 20 milhões de empreendimentos. Desse montante, 70% são constituídos por micro e pequenas empresas, como a sua. Infelizmente, segundo o IBGE, mais de 70% delas fecham antes de dez anos de atividade.

Muito disso acontece porque o empreendedor não consegue entender muito bem as reais necessidades do seu negócio, ou porque pereceu perante crises. Muitas dessas situações poderiam ser resolvidas com alternativas de crédito bem planejadas.

Dentre tantas dúvidas que impedem o empreendedor de aproveitar esse tipo de oportunidade está: será que minha empresa precisa de crédito? Ou ainda, qual o melhor momento, ou o que eu posso ganhar com isso?

Para responder essas perguntas é preciso ponderar o objetivo do empréstimo. Quais são as necessidades atuais do seu negócio?

  • Precisa quitar dívidas?
  • Fazer obras de infraestrutura e ampliação?
  • Contar com um capital de giro maior?

Essas costumam ser boas razões para solicitar acesso a crédito. Se sua pequena empresa ou negócio tem essas necessidades atuais e existe a possibilidade de empréstimo, ele pode se tornar uma oportunidade de crescimento.

Você pode utilizar não só o dinheiro excedente, como também, o economizado com a renegociação de suas dívidas para aumentar o capital de giro, fazer uma obra de infraestrutura, ou criar um fundo de emergência. Existem diversas possibilidades, o que não pode é dar uma passo maior do que as pernas e agir de forma imprudente.

Em quais sinais devo ficar de olho?

Descobrir se sua empresa precisa de empréstimo requer atenção e percepção por parte do empresário. No entanto, alguns sinais podem ser um indicativo importante de que a ação é realmente necessária.

Por exemplo, às vezes, as dívidas são o que impede seu negócio de crescer, quando não estão totalmente descontroladas, é claro. Afinal de contas, como poderá investir, se os boletos se acumulam?

Nesse caso, o empréstimo é viável, apenas se houver a possibilidade de uma boa negociação com a instituição financeira, e se o dinheiro economizado com ela puder ser investido no crescimento do empreendimento.

Nada de utilizar o valor tomado para quitar alguns boletos e usar o resto para fazer uma viagem, por exemplo. É preciso ter foco, resiliência e saber aproveitar o dinheiro restante da melhor forma possível, sempre tendo como objetivo o crescimento do negócio.

Outro sinal de que deve solicitar crédito é quando se percebe que as instalações e a infraestrutura do negócio não estão dando conta da demanda de produtos ou serviços prestados. Os clientes chegam, mas você não consegue atendê-los de forma eficiente, por falta de uma loja ou de uma melhor gestão de estoque.

Em muitos casos, as empresas não conseguem suprir demandas devido à carência de uma ferramenta ou tecnologia específica. Dessa forma, é preciso saber quando seu negócio deixa de atender a demandas e aproveitar oportunidades. Se isso acontece devido a algo que você não tem ainda, é bom que considere o empréstimo como alternativa para consegui-lo.

Apenas o empreendedor tem condições de saber a hora certa de adquirir crédito para sua pequena empresa, pois é ele que tem as informações necessárias para fazer a análise do empreendimento. O importante é sempre ponderar se o empréstimo trará retorno positivo a longo, médio e curto prazo.

Para isso, não tem como fugir de pegar papel e caneta, fazer contas e estimativas. O medo de “sair da zona de conforto” precisa ficar lá atrás, pois é o principal motivo da falência e estagnação de muitos negócios que teriam ótimo potencial.

O que eu preciso saber antes de pedir empréstimo para pequenas empresas?

Antes de solicitar crédito, você precisa realizar uma análise da saúde financeira da empresa e ponderar o objetivo do dinheiro, bem como se ele trará mais receita e economia. Esse é o passo mais importante.

No entanto, é preciso ter atenção a outros pontos que vão influenciar não só sua decisão de solicitar ou não o crédito para sua pequena empresa, mas também, sua capacidade de adquiri-lo. Vamos conhecê-los?

Análise do orçamento

Primeiro, observe se as parcelas do empréstimo em questão se encaixam dentro do seu orçamento. Você precisa pagá-las de forma sustentável, sem comprometer sua saúde financeira e outras despesas.

A verdade é que garantir a capacidade de pagamento da empresa deve ser sua prioridade. Se isso não puder ser assegurado, o empréstimo deixa de se tornar viável.

Limite de rendimento

Outro ponto importante é ter a certeza de que as parcelas do empréstimo não vão ultrapassar o limite de 30% do seu rendimento mensal. Seu empreendimento deve ter lucro, e não apenas existir para pagar boletos. Esse teto é importante para que tenha capacidade de crescimento.

Por isso, avaliar os indicadores financeiros, os compromissos, as despesas, o rendimento, o capital de giro e as necessidades de curto, médio e longo prazo são tão importantes. Somente por meio de uma gestão financeira e orçamentária eficiente você poderá ter certeza de que o empréstimo trará o resultado que espera.

Score de crédito

Por último, veja se sua empresa conta com um bom score de crédito. Você pode, inclusive, fazer essa consulta de forma gratuita no site da Serasa Experian. Sua pontuação será fundamental para conseguir o valor necessário, menores taxas de juros, maior carência e prazo.

Além desses pontos de atenção, existem ainda alguns fatores que podem ajudar a obter melhores condições de crédito. Alguns deles são:

  • apresentar planejamento e organização financeira;
  • demonstrar consistência na gestão empresarial;
  • estabelecer objetivos de metas de crescimento;
  • ter boa reputação como empresa pagadora.

Vale ressaltar que algumas instituições financeiras podem exigir uma garantia do tomador de crédito. Pode ser um bem móvel ou imóvel, ou ainda, uma garantia pessoal concedida por meio de um avalista ou fiador.

Com tudo ok, basta seguir para os próximos passos e avaliar as alternativas de crédito disponíveis. No decorrer do texto, você vai conhecer algumas delas.

Como obter o empréstimo?

Fez toda a análise necessária, definiu objetivos e metas, cálculos e estimativas, e agora quer solicitar seu empréstimo, mas não sabe como? Vamos ajudar com isso, também.

A maioria das instituições financeiras requer algumas ações ou documentos para conceder crédito. Como vimos, o score da sua empresa é importante, mas não é o único fator. Pode ser que precise ter em mãos o contrato social, o balanço patrimonial, as cópias das últimas DIRPJs (Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica) e o balanço analítico.

O contrato social comprova que seu negócio existe, realmente, como pessoa jurídica, o que comercializa, o endereço e o capital inicial do empreendimento. Ele é o documento básico, como se fosse o RG do seu negócio. Nenhuma instituição financeira concederá crédito sem ele.

O balanço patrimonial e o analítico servem para que possa provar que consegue honrar suas dívidas. Lembra-se do que dissemos sobre como garantir melhores condições de crédito a partir de boa reputação, gestão eficiente e score? É aqui que você vai demonstrar tudo isso.

Seu balanço patrimonial deve apresentar a conjuntura financeira e econômica da sua empresa, assim como seus bens, receitas, dívidas e despesas. Já o analítico, caso seja necessário, precisa demonstrar o fluxo de caixa do seu negócio junto do Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE).

Assim como o contrato social, também é fundamental ter em mãos a Declaração de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (DIRPJ). Ela vai demonstrar a regularidade fiscal da sua empresa junto à Receita Federal. Tendo certeza de que o empréstimo é uma solução viável e positiva para seu negócio, basta se dirigir à instituição escolhida, com todos os documentos em mãos.

Como saber qual o valor concedido?

O valor ideal do empréstimo é aquele que permitirá a você conseguir atender às necessidades de sua empresa de forma eficiente e sustentável. Vale tanto para realizar um investimento de infraestrutura quanto para implementar uma tecnologia ou, ainda, para quitar dívidas.

Apenas o empreendedor pode descobrir isso, por meio de análise do rendimento e das despesas mensais da organização, além do potencial de crescimento da empresa para os meses subsequentes. Por segurança, é importante que o valor das parcelas não ultrapasse 30% do faturamento mensal do seu negócio.

O valor concedido também depende muito do tipo de empréstimo que pretende pegar, por exemplo, microcrédito tem valor máximo de R$20 mil. No próximo tópico, vamos explicar quais são as possibilidades disponíveis e o que você precisa saber sobre elas.

Conseguir melhores formas de pagamento dependerá muito do seu score de crédito e das demonstrações financeiras. É preciso se preparar para solicitar crédito.

Afinal, ao demonstrar para a instituição financeira que você tem condições de arcar com seus compromissos e crescer, menor será sua probabilidade de inadimplência. Consequentemente, conseguirá melhores condições.

Quais são os tipos de empréstimo para pequenas empresas?

Existem muitas opções de crédito para pequenas empresas, e para escolher o ideal, você deve considerar a quantidade de recursos que seu negócio precisa. Também precisa conhecer as opções que apresentam melhores taxas de juros, e se as parcelas se encaixam dentro do seu orçamento, bem como a quantidade delas.

Um ponto importante: algumas instituições financeiras oferecem linhas de crédito específicas para determinado objetivo, como aquisição de capital de giro, compra de equipamentos e, até mesmo, implantação de infraestrutura sustentável. Existem, ainda, algumas linhas de crédito que requerem a indicação de uma destinação específica desde o início.

Outras, como cheque especial, empréstimo livre e cooperativas, no entanto, não restringem o uso do dinheiro. O primeiro passo é conhecer cada uma delas. A seguir, confira algumas alternativas disponíveis.

Cheque especial

Esse tipo de empréstimo é bem fácil de adquirir. Dá para solicitar pelo próprio aplicativo do banco ou conta, sem muita burocracia. Por esse motivo, é uma das formas mais utilizadas pelas empresas.

Isso nos leva a um grande problema: muitos empreendedores recorrem ao cheque especial por impulso, no calor do momento, e sem planejamento algum. Dessa forma, a opção se torna um tiro no pé, devido à falta de planejamento financeiro para pagar as parcelas e taxas de juros, extremamente altas.

É recomendado que o cheque especial seja utilizado apenas em momentos de extrema emergência. Se o que busca é dinheiro para investir, movimentar capital de giro, ampliações, entre outros, prefira uma alternativa de crédito com menor taxa de juros e de forma mais planejada.

Microcrédito

O microcrédito tem como objetivo fornecer pequenos valores ao empreendedor para que ele possa começar o negócio ou, até mesmo, investir nele. Feita em parceria com o governo, essa linha visa a incentivar a produção. Mas quanto seria isso?

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDS) gere essa modalidade e concede crédito de até R$20 mil, com taxas de juros que, na maioria das vezes, costumam ser baixas.

Vale ressaltar que o Microempreendedor Individual (MEI) tem muito a se beneficiar com esse tipo de crédito. No entanto, é preciso que ele não tenha um faturamento superior a R$81 mil ao ano para solicitar esse tipo de empréstimo.

Crédito para capital de giro

De fundamental importância para todo empreendedor, o capital de giro é o dinheiro em caixa, ou seja, o montante que a empresa precisa para financiar seu ciclo operacional. Inclui-se nele o pagamento de salários, os impostos, as reformas e a reposição de estoque. Aliás, qualquer recurso que possa ser convertido em dinheiro é considerado parte do capital de giro.

É uma das modalidades mais solicitadas nos últimos anos, pois apresenta taxas de juros vantajosas, principalmente, quando são ofertadas por fintechs do sistema open banking. Nessa linha de crédito, tudo é mais rápido e personalizado, sem burocracia e dor de cabeça.

Isso não exclui, entretanto, a necessidade de planejamento por parte do empreendedor. É preciso ter organização financeira e foco.

Você pode utilizar algumas das outras alternativas para aumentar o capital de giro da sua empresa. No entanto, algumas instituições financeiras, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, fornecem linhas de crédito específicas para isso.

Empréstimo com garantia

Esse tipo de crédito é bastante procurado por pequenos empreendedores. Por meio dele, consegue-se empréstimo com baixa taxa de juros e prazo acessível, ao oferecer uma garantia em troca do valor tomado — pode ser um bem móvel ou imóvel, por exemplo.

Conta garantida

A conta garantida é um tipo de crédito rotativo bem parecido com o cheque especial. As principais diferenças são a necessidade de garantia em forma de duplicata e a taxa de juros menores.

Antecipação de recebíveis

Se sua empresa está passando por um momento difícil, para que não piore, você pode solicitar uma antecipação de recebíveis para ganhar um fôlego. Com ela, é possível antecipar os recursos que sua empresa tem para receber, como cheques pré-datados, duplicatas e outros direitos para saldar contas pontuais, sem assumir uma nova dívida.

Algumas cooperativas, bancos privados e operadoras de máquinas de cartão oferecem esse tipo de crédito.

Linhas especiais do BNDES

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) oferece linhas de crédito diferenciadas para micros, pequenas e médias empresas. Tais benefícios podem ser oferecidos por bancos privados por meio de 3 frentes de atuação:

  1. crédito para folha de pagamento;
  2. suspensão de pagamentos;
  3. crédito para pequenas e médias empresas.

Por meio do primeiro, é possível financiar até dois meses dos seus gastos com pessoal. A suspensão de pagamentos prevê o adiamento da amortização de créditos já correntes junto ao BNDES por até seis meses.

Já o último tem como foco fornecer capital de giro para pequenas e médias empresas, e oferece juros de 15% ao ano. A vantagem dessa linha de crédito é que as taxas são bem menores, quando comparadas a outros cartões, e os prazos podem ser bastante atrativos, também.

Empréstimos de uso livre

O empréstimo de uso livre, diferentemente de outras modalidades com recursos direcionados, é bem versátil. O empreendedor pode utilizar o valor recebido da forma como bem entender, seja para o pagamento de salário, seja para quitar dívidas, fazer investimento em infraestrutura, entre outros.

Cooperativas

Podemos dizer que elas são uma espécie de instituição financeira formada pela associação de pessoas que se une para prestar serviços aos seus associados. Eles têm à disposição recursos bancários, como conta corrente, cartão de crédito, aplicações financeiras e, é claro, empréstimos.

As linhas de crédito oferecidas pelas cooperativas são autorizadas pelo Banco Central, e costumam ser bem mais acessíveis que os bancos convencionais.

Por que manter o pagamento do empréstimo em dia?

Conseguiu o empréstimo que queria? Ótimo, no entanto, é preciso ter cuidado. O período pós-crédito requer organização financeira, foco e controle para manter os pagamentos em dia, de forma saudável. Caso não faça isso, a situação pode se complicar ainda mais.

Além de mais dívidas, você ainda pode comprometer seu score de crédito e os compromissos assumidos com fornecedores, clientes e funcionários. Não é para colocar medo, mas sim, alertar para um cuidado necessário e, muitas vezes, negligenciado pelos tomadores de crédito.

Muitas vezes, os empreendedores se sentem tão aliviados com o dinheiro em conta, que perdem o controle dos gastos. Consequentemente, acabam comprometendo a saúde financeira da empresa, de forma a colocar todo o seu negócio em risco.

É muito comum que os empreendimentos familiares encontrem problemas nessa parte, principalmente, quando seus gestores não sabem separar a receita e as despesas pessoais das empresariais. Nessas horas, o crédito vira um problema.

Por último, é preciso também agir com sinceridade junto à instituição de crédito. Ao encontrar problemas para pagar as parcelas, é recomendado informar o fato. Com sorte, você pode conseguir mais prazo para pagar ou, até mesmo, refinanciar com datas e condições mais benéficas para sua empresa.

Para que isso não aconteça, é preciso ter organização financeira, atenção ao clima político e econômico do país e foco.

Quando realizar um empréstimo para pequenas empresas?

De forma simples, podemos dizer que o empreendedor precisa considerar a necessidade do empréstimo, ou seja, seu motivo. Dentre os principais, estão executar a renovação de estoque, reformas, expansão, aumento de capital de giro ou fazer investimentos para aumentar as vendas.

O crédito deve ser visto como um facilitador de oportunidades de negócio e crescimento a curto, médio e longo prazo. Mas não só isso.

O momento oportuno para realizar um empréstimo é quando você tem certeza de que os compromissos assumidos poderão ser cumpridos, sem prejudicar a saúde financeira e o orçamento da sua empresa. Para isso, é bom que faça algumas perguntas para si mesmo:

  • Como está a saúde financeira da minha empresa?
  • Posso resolver apenas cortando gastos desnecessários?
  • Minha gestão financeira é eficiente?
  • O valor das parcelas compromete meu orçamento?

Você precisa ter o máximo controle e conhecimento dos encargos, juros e do quanto esse crédito poderá ajudar. A organização para isso é fundamental.

Neste artigo, apresentamos um guia sobre as possibilidades de empréstimo para pequenas empresas. Além dos tipos de crédito, você descobriu, por exemplo, que uma boa gestão financeira é fundamental.

Quer investir mais em seu negócio? Baixe nosso ebook sobre como calcular seu capital de giro! Reunir informações sobre a sua empresa é o primeiro passo para realizar um empréstimo seguro e planejado.

[INSERIR BANNER]

Publicada em 27/07/2022 - Fonte: Aprenda Serasa Sebrae
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: