Vai começar a empreender por necessidade? Veja como garantir segurança

Obrigações
empreendedor do ramo de calçados mostrando todas as suas ferramentas e o seu espaço de trabalho

Empreender é uma tarefa que pode colocar no mundo ideias que resolvem o problema de muitas pessoas e transformam vidas. Mas o que pode passar despercebido é que muita gente começa a empreender por necessidade.

Seja para realizar um sonho próprio, seja por falta de oportunidades no mercado ou perda de emprego, esse cenário é mais comum do que parece.

Independentemente da maneira como uma pessoa inicia a vida empreendedora, é preciso que ela conheça formas de garantir tanto a segurança financeira do seu negócio como o orçamento da sua vida pessoal. Afinal, essa é uma atividade desafiadora e deve ser planejada para que os melhores frutos sejam colhidos.

No post de hoje trouxemos as principais maneiras de como você pode garantir a estabilidade para cumprir a sua missão empreendedora. Acompanhe!

Tenha um planejamento

Um plano de negócios serve para que seu empreendimento não seja construído apenas no entusiasmo e para que você saiba exatamente quanto, onde e como investir seus recursos para que seu negócio gere lucro.

Essa ferramenta é muito útil para que você organize todas as suas ideias e analise a viabilidade de cada uma. Ela pode ser dividida, basicamente, em quatro etapas.

Informações sobre a empresa

A primeira etapa do seu planejamento deve consistir em determinar os detalhes básicos da sua empresa. Nome, ramo de atuação, produto, missão, enquadramento tributário, fonte de recursos e outros pontos importantes para que a ideia saia do papel.

Análise de mercado

Lousa com desenhos de quadrados e circulos sendo o diferente, simboliza o diferencial nada mais é que um conjunto de qualidades que fazem com que o consumidor perceba sua marca como mais vantajosa em relação aos concorrentes.
Como o mercado percebe a sua empresa?
Essa etapa consiste no estudo de mercado, que envolve tanto o perfil dos seus clientes, como faixa etária, renda, sexo, entre outros, quanto a análise dos pontos fortes e fracos dos seus concorrentes.

Inclua aqui também um estudo dos seus parceiros e fornecedores para ter uma base de preço, tempo de entrega, garantias e qualidade de trabalho.

Comercialização e marketing

Aqui você deve formular suas estratégias de comercialização, divulgação, descrição e precificação dos produtos. Além disso, também deve estudar sua localização e formas de como você vai chegar ao cliente e vice-versa.

Projeções financeiras

Empreendedor com equipamentos de médico analisando um monte de moedas de dinheiro, que significa que ele está fazendo um diagnóstico da saude financeira do negócio.
Projeções financeiras – entenda todos os custos envolvidos
Essa é a parte de fazer levantamentos dos seus reais custos para começar o negócio. Por exemplo, se a sua produção é em casa, provavelmente seus principais gastos são com produtos e insumos.

Por isso, faça uma estimativa de uma boa quantia para que você consiga produzir, determine seus custos fixos e variáveis, despesas com funcionários, prazo de retorno de investimentos, entre outros.

Faça uma análise de risco

Toda empresa está sujeita a correr riscos, seja quando é iniciada ou quando já está em atividade. Por isso, aprender a analisar possíveis cenários e conhecer os riscos que seu negócio pode enfrentar ajuda você a criar estratégias e alternativas de atuação no mercado.

Uma análise de riscos se baseia em aspectos como:

  • sazonalidade empresas que enfrentam aumento ou redução significativas da demanda de produto em determinada época do ano;
  • controles governamentais — envolvem setores sob rigorosos controles do governo, em que as regras podem mudar com frequência;
  • existência de monopólios — operações que dominam o mercado e definem as “regras do jogo” comercial; alguns exemplos são a comercialização de pneus, tintas e produtos químicos;
  • barreiras à entrada de empresas — são obstáculos como exigência de capital elevado para o investimento, dificuldades para obtenção de matéria-prima, conhecimento técnico complexo, exigência e licenças especiais, entre outros.

Considere cada um desses aspectos e reflita em que ações (financeiras, de mercado, de divulgação etc) você poderia tomar para fazer sua empresa contornar a situação e ainda assim obter bom faturamento.

Esse estudo também serve para que você crie várias simulações e esteja pronto para potencializar as situações favoráveis.

Cuide do seu fluxo de caixa

Com um plano de negócios em mãos, o cuidado com o fluxo de caixa deve ser o de, basicamente, registrar todas as entradas e saídas do seu negócio. Sendo assim, você precisa anotar todos os gastos (matéria-prima, aluguel, luz etc ) e todas as receitas.

Esse é um passo básico para saber exatamente quanto dinheiro entra e quanto sai ao longo do ciclo operacional da empresa. Esse controle pode ser realizado de forma manual ou, caso você deseje facilitar o processo e evitar problemas, pode contar com softwares de gestão.

Legalize sua atividade

É muito comum que os empreendedores acreditem que ter o seu negócio legalizado é custoso. Porém, pequenos negócios podem se beneficiar com o auxílio do MEI e legalizar suas atividades.

Somente uma empresa em situação legal pode negociar com outras empresas e governo, oferecer meios de pagamento por cartão, garantir alvarás e licenças, ter acesso a linhas de crédito, entre outros benefícios.

Os negócios que exercem atividades fora da lei perdem oportunidades de fechar bons negócios, ficam em desvantagem em relação à concorrência e podem ser punidos financeiramente.

Tome crédito com consciência

moedas empilhadas que significam os juros que se paga em modalidades de empre´stimo
Em crédito com garantia os juros são mais baixos.
Muitos negócios precisam de crédito para começar suas atividades ou para aumentar a sua capacidade de produção. Seja qual for o motivo, recursos financeiros podem fazer toda a diferença na hora da sua expansão ou posicionamento no mercado.

Entretanto, é muito importante que essa decisão seja estudada e tomada com bastante cautela. Afinal, pouco planejamento pode fazer com que você se afunde em dívidas e não consiga realizar a ideia que tinha em mente.

Por isso, antes de contratar uma linha de crédito estipule pontos como:

  • onde o dinheiro vai ser usado (investimento inicial, estoque, maquinário, capital de giro etc);
  • de onde sairão os recursos para pagar o empréstimo (é ideal que o empréstimo não comprometa mais de 20% da sua geração de renda);
  • qual a melhor opção de crédito para o negócio (com garantia imobiliária, corporativo, consignado, linhas de micro e pequena empresa);
  • qual a taxa de juros que a empresa pode arcar;
  • qual é o prazo de pagamento ideal;
  • qual a melhor instituição para a contratação do empréstimo.

Com essas respostas em mãos você terá um plano mais claro e pode manter-se fiel a ele para que as finanças não fujam do controle. Assim, você também conseguirá encontrar a parceira ideal para contratar crédito.

Tenha você começado a empreender por necessidade ou por sonho antigo, com as dicas que viu aqui hoje certamente pode começar seu negócio com uma direção mais clara e sólida para se garantir financeiramente. Boa sorte na sua jornada!

E você, gostou deste conteúdo? Então siga-nos no Facebook, Instagram e LinkedIn e receba mais conteúdos interessantes e inspiradores como este!

Publicada em 14/11/2018 - Fonte: Serasa Empreendedor
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: