Capital de giro para pequenas empresas: como pode reestruturar seu negócio?

Negócios
capital de giro para pequenas empresas

Assim como em organizações de grande porte, o capital de giro para pequenas empresas é o elemento que promove a liquidez necessária para o negócio manter sua dinâmica operacional. Quando ele é baixo, a organização sente uma enorme dificuldade em honrar compromissos com fornecedores. Essa é a situação, por exemplo, de uma loja que tem pouco dinheiro em caixa para suprir seus próprios estoques.

A manutenção de um estoque minimamente completo apresenta apenas uma das funções desse volume financeiro. Se você é empresário de uma PME e quer saber mais sobre o assunto, está no lugar certo!

Acompanhe, a seguir, algumas razões que explicam a importância do capital de giro para pequenas empresas, principalmente em momentos delicados!

Como funciona o capital de giro para pequenas empresas

Em comparação com as grandes empresas, o capital de giro das PMEs exige uma atenção maior. Isso porque essas últimas trabalham com uma receita mensal bem inferior àquela movimentada pelas primeiras. Na prática, isso significa que, por melhor que sejam os resultados mensais do negócio, não sobra muito dinheiro no fim do mês.

Em outras palavras, as empresas de pequeno porte tendem a manter suas operações com uma base financeira mínima. E é aí que mora o perigo! Basta lembrar que o capital de giro é usado para pagar não apenas fornecedores, mas outros custos e despesas — tributos, aluguel, salários, etc.

A fim de que a conta final seja satisfatória ao término de cada intervalo de 30 dias, o pequeno empresário precisa pensar em um médio e longo prazo. Um dos segredos para aprimorar a gestão de capital de giro é eliminar os gargalos entre pagamentos e recebimentos.

Sim, você precisa oferecer flexibilidade de prazos de pagamento aos clientes, essencialmente em compras maiores, a serem parceladas em alguns meses. No entanto, repare que é vital buscar o mesmo equilíbrio com relação ao tempo que terá para pagar as dívidas com os fornecedores.

Se houver uma longa distância entre o que você tem a receber de clientes e o que deve pagar aos fornecedores, você pode ter sérios problemas no futuro. Além dos dias de espera pela entrada de dinheiro em caixa, esteja ciente de que alguns imprevistos acontecem.

Entre outros aspectos, isso quer dizer que nada garante o recebimento de todos os pagamentos por parte dos clientes. Portanto, ter em mãos um mecanismo eficiente de análise de crédito e gestão da taxa de inadimplência é imprescindível. Isso explica por que a realização de consultas de CPF e CNPJ é um hábito a ser adotado o mais rapidamente possível.

Como o capital de giro ajuda na reestruturação do negócio?

Podemos perceber que o aprimoramento da gestão do capital de giro é praticamente pré-requisito do sucesso de um negócio. De fato, esse processo é decisivo para a existência da sua empresa nos próximos meses e anos. Para compreender melhor tamanha relevância, é necessário conhecer alguns benefícios relacionados ao capital de giro. Vamos a eles!

Facilidade de pagamento

Ao inaugurar uma empresa, os empresários devem estar cientes que isso carrega consigo um conjunto considerável de obrigações financeiras. Um capital de giro amplo é o que assegurará a quitação de todas as pendências da empresa dentro dos referidos vencimentos.

A lógica por trás das rodas que movimentam essas rotinas é bem simples: você precisa de dinheiro imediato para encerrar as contas a pagar de curto prazo. Esse é o principal papel exercido pelo capital de giro: evitar apuros financeiros na hora de fechar ciclos frequentes de pagamento.

Crescimento

O exemplo inicial da loja com problemas de estoque é clássico. Imagine uma assistência técnica autorizada a prestar manutenção para determinadas marcas. Geralmente, ela também revende peças e acessórios das linhas de produtos com as quais trabalha.

Suponha, agora, que um cliente vai até o estabelecimento solicitar um serviço de reparo. Enquanto aguarda o orçamento, ele caminha pelo estabelecimento e vê ilustrações do seu produto até que se depara com um acessório interessante. Ao perguntar pelo item, você diz que está em falta. Em segundos, o cliente consulta o Google em busca de outras lojas representantes da marca que forneçam a mesma unidade de interesse.

Esse tipo de situação acontece com mais frequência do que se imagina e revela que a potencialidade de receita do negócio ainda está aquém do desejável. No entanto, em um período delicado, como o atual, é mais aconselhável resguardar o capital de giro, direcionando-o aos itens de maior demanda. Então, você precisa girar o estoque da sua empresa de acordo com os sinais emitidos pelo mercado e público-consumidor.

Com uma boa margem de capital de giro, é possível proteger o caixa da empresa durante situações emergenciais e focar apenas as melhores fontes de receita do momento. Ela é crucial para que sua empresa estenda o leque de soluções e, assim, continue causando um impacto positivo nos clientes. Ao superar tais expectativas regularmente, sua empresa se posiciona como indispensável na vida dessas pessoas.

Com isso, é natural que o volume de receita da empresa seja constantemente ampliado — respeitando-se o ritmo que a época determina. Tamanho equilíbrio está intimamente ligado ao capital de giro, substancial para que ela cresça de maneira contínua e sustentável. Antes de pensar em acelerar o desenvolvimento do seu negócio, você precisa atentar à edificação de uma base financeira. Ela o protegerá não só agora, mas em qualquer outro cenário desfavorável do futuro.

Auxílio em momentos de crise

O capital de giro também é importante para o fortalecimento de um fundo reserva, o qual desempenha duas funções elementares. Em primeiro lugar, ele concede à empresa a quantia necessária para sua manutenção diante dos cenários desafiadores da economia. Assim, o negócio consegue se sustentar mais confortavelmente até que o momento desfavorável fique para trás.

Além disso, uma parte do fundo deve ser direcionada a reinvestimentos feitos na infraestrutura ou até mesmo expansão do negócio. Então, resguardar dinheiro ao longo do tempo é fundamental para que sua organização esteja preparada para enfrentar diferentes fases.

Qual a importância de ter um bom planejamento financeiro?

Diante de todos os aspectos levantados, fica fácil entender por que o capital de giro é determinante para a sobrevivência de qualquer empresa. Em se tratando de uma PME, você precisa ficar ainda mais atento ao tamanho desse montante.

Nesse sentido, planejar as finanças nos seus mínimos detalhes é tarefa das mais básicas. Você precisa saber exatamente quais são as atuais fontes de receita da empresa e como está o processo de prospecção de clientes. Ao mesmo tempo, é necessário ficar a par do andamento das dívidas de curto, médio e longo prazo. Tudo isso é trabalhoso, mas incrivelmente facilitado por ferramentas de gestão inteligentes.

Esperar que um profundo abalo econômico teste a fragilidade desse capital é um erro comum cometido pela maioria dos empresários brasileiros. Para se diferenciar dessa incômoda maioria, o capital de giro para pequenas empresas deve ser capaz de suportar diferentes cenários adversos.

Como fazer isso? Da mesma forma que nas demais áreas de gestão do seu negócio, tudo começa com um planejamento financeiro eficaz.

Quer saber como elaborar o seu? Veja nosso guia do planejamento comercial e conheça um passo a passo para aumentar as vendas da sua empresa!

Publicada em 29/05/2020 - Fonte: Serasa Experian
Gostou desse conteúdo?
Compartilhe: